CRÓNICAS DE UM CO-PILOTO NEURÓTICO

CRÓNICAS DE UM CO-PILOTO NEURÓTICO

Baja de Góis

Dia 0.

“os nervos miudinhos começam a aparecer “
Nunca escrevi mais do que 5 linhas seguidas e vejo me a fazer esta merda para memórias futuras para que a minha Inês um dia mais tarde ,constate que o pai não era nenhum tolo.

Ninguém sabe mas fiz a Baja de Portalegre duas vezes com o Vitor Santos e felizmente que ninguém sabe ,que na última corrida , o meu erro fez nos perder 30s senão teríamos ganho . Pronto… ficamos em segundo !

Este ano decidimos fazer o nacional todo terreno na categoria que nos distingue . Alta categoria

Começa já amanhã em Góis … ai Jasues !!!

A equipa Speedfreak /Racing Factory tambem terá sotaque português . 5 elementos oriundos da floresta amazónica indígena brasileira serão os nossos companheiros e grupo forte da equipa . São pilotos experientes em caça submarina ,fugir ao crocodilo e na cachaça 51 . Estes irão lutar também por um lugar no pódio em todas as corridas do campeonato .

A Boxe já está idealizada !

Amortecedores substituídos para chegarmos em vida ,tapete de Arraiolos indiano lavado a seco (mingou mais de meio metro) e meio dia perdido para encontrar a mascote perfeita .
amigo e eternamente fiel … o “assassino “.

Por hoje está tudo e amanha siga para Bingo

Dia 1 – Sábado 16

Uii…Tanta gente. Tanta testosterona junta… Todos a afinarem os carros, motas e tratores…. Nós? A montar o Estaminé: soalho no chão (lol), sofás, ambientador, candeeiro, quadro à maneira, sapo contra o mau olhado e o nosso fiel amigo – o Assassino.


The Racing Factory Team estava em alta rotação.
Mafra nas suas dissertações técnicas teórico-práticas de todo o terreno Brasileiro.
Cristiano de sorriso pepsodent na fronha que metia nojo. Zeller de Ressaca de Jeropiga.
Fábio, nosso virtuoso TEAM MANAGER, andava para a frente e trás, qual barata tonta que tudo quer fazer e nada faz!

O Né, andava lá…e andava. Por lá…e andou…lá…e bom teria sido, se por lá andasse!
Por fim, os que mais interessam: OS NOSSOS MECÂNICOS! (O Né esteve por lá!).Pau para toda a obra, de tromba suja, cheia de óleo, alinharam-se ordenadamente e coordenados como um bando de pássaros abichanados no céu, dançaram na perfeição sobre a coreografia produzida pelo Filipe, a música “Não prendas o Cabelo” de José Pinhal. (O Né andava lá e viu!)

Fizemos o prólogo, ficamos em nono. (Quase atropelamos o Né!) Até amanhã

Dia 2 – Domingo 17

Let’s Race.
Arrancamos prego a fundo. O Vítor estava possuído ou o Filipe, perdeu demasiado tempo na coreografia e, esqueceu-se de afinar os travões. Andamos pra carago! 103 Km e já víamos o 1º classificado a 2 minutos.

Paragem de uma hora para reajustar os carros.

O Filipe a dançar e o Né…perdido por lá.
O nosso amigo Pepe, que por lá apareceu, chegou a tempo de abençoar o carro antes do Restart para os derradeiros 100 Km. Abro o Roadbook, falo com o Vítor e aí começam os problemas: Discutimos! Deixamos de comunicar! Voltamos a discutir! Cada vez em tom mais alto: Eu do alto do meus 110 cm e ele do alto dos seus 2 metros! A razão: MAFRA! MAFRA havia aparecido, naquela pausa, com a auréola dos seus lábios besuntada com um pastoso creme branco! Tinha ficado indignado e partilhei, naquele momento, com o Vítor, que com certeza teria sido por comer o bolo com chantilly como um javardo. O Vítor disse que tinha sido outra coisa com toda a certeza! INDIGNEI-ME que duvidasse de MIM! (O Né tinha-me dado razão, se andasse por lá!) Mas como bons amigos fizemos as pazes e cantamos outro single, disco de platina, de José Pinhal com a sinfonia da válvula do Turbo a dar tiros!

ACABOU!

Foi divertido, o carro chegou ao fim e nenhum de nós se aleijou! (Apesar de quase atropelarmos o Né!)

No entanto, para nosso espanto, ao chegar à Box vemos o 7anão do Bruninho aos pinchos: tínhamos recuperado e ainda demos um Chiquinho de avanço ao que ia em primeiro. Ganhamos! Fónix!!!!! GANHAMOS!

Foguetes no ar! Bombas de confetis! Uma fila de mulheres esbeltas a baterem palmas e abraçarem-nos! O Assassino no meio da relva, de sapo na boca, a correr atrás do Né que não parava de o chatear! Orquestra do Exército a tocar o Hino Nacional de metralhadoras na mão ao lado disto é pra meninos!

(Alguém viu o Né?)

 

Baja do Pinhal

Dia 0 – 21 de Março de 2019 – Quinta-feira

É hora de preparar o saco que saímos ao final do dia com a carrinha artilhada. Temos corrida, no fim de semana, lá prós lado da Sertã… acho eu que é por esse lado… se não for, é pelo outro…

Dois pares de cuecas

Dois pares de meias

Duas t-shirts

Dois bolinhos de bacalhau e duas minis!

Tudo pronto para a corrida!

12393 km?!?!? (são 400 e tal, realmente!) É quase a volta ao Mundo em 3 dias! Tou fodido! Ainda por cima mal me deixam dormir e obrigam-me a estar pronto de cueca lavada as 7H45! Nem para o meu casamento, quando era ALTO, magrinho e musculado acordei tão cedo… (ihihiih….fui de direta!)

Mas este sacrifício vai valer a pena!

Vou rever amigos de longa data que fiz na 1º corrida do campeonato nacional. Ha muito tempo…em Fevereiro de 2019. As saudades que eu tenho do Né! O meu Né. Que sempre andou lá…mesmo quando eu não precisei!!!

DO Jorge…não falei dele ainda no meu extenso livro de memórias mas é o Jorge! O grande Jorge! E… sim… esse… o…. maior deles todos… quem não o conhece?… O Madeirense, com sotaque açoriano, pronúncia Canadense e com um quase dialeto próprio inelegível…porque não sei seu nome…nem o nome dele! Mas é um amigo do Peito…da mulher dele! Diz ele!
Mas gosto dele de qualquer jeito! Finalmente vou ganhar coragem!!!! E perguntar-lhe-ei o nome! Tenho de deixar a minha vergonha para trás das costas… e assumir a minha consideração e admiração… por ele! Meu grande amigo, SEM NOME!

O nome do Né é fixe! É o Né! Será que o nome dele é fixe também? Espero que sim! Espero mesmo que sim…

Fico a pensar e vou adormecer…

Até amanhã…

Dia 1 – 22 de Março de 2019 – Sexta-feira

Ontem adormeci a pensar no nome do meu amigo SEM NOME! Adormeci a pensar nele….e sonhei também…feliz…porque tenho ganho muitos amigos…seguidores…que me ligam… que me querem ver… que me pedem bilhetes…
Acordei para fazer xixi e não mais sonhei. Mas o sonho foi bom.

Equipados a Rigor, fomos para o prólogo. Concentrados e focados, não podíamos deixar de ouvir o Hino, cantado pelo Tim Maia – “ELA PARTIU!”.

A corrida foi uma seca: muito pó, muito calor, pouca água, o carro sem o habitual disparo da AK47 do meu amigo Russo, desta vez do TURBO do carro.

O Sabichão do piloto do meu carro, decidiu não acatar as minhas ordens e instruções claras que sempre lhe dou: “OUVE-ME E TÁ CALADO! NÂO MEXAS EM NADA! APENAS CONDUZ COMO TE DIGO!” e decidiu fazer merda! Podia dizer que foi distração, mas não! O Sabichão mexeu mesmo, quando lhe disse para estar quieto e fez reprogramação INVERSA! Conseguiu por o carro a andar menos, só para tentar provar que mesmo assim, conseguia EU mostrar que as minhas informações são tão boas que não preciso de quitar o meu carro!

Não me adaptei a esta alteração não programada, e o dia não correu de feição. Mas amanhã vão ver….
Adeus – ESTAMOS EM 6º

Dia 2 – 23 de Março de 2019 – Sábado

Triimmmmm…. Por momentos pensei que estava a ser acordado pela minha querida rica filha, aos saltos na cama, ansiosa por ver o PANDA na televisão! Mas, na realidade era O PANDA Vítor ao VIVO e a CORES, aos saltos na cama (DELE!), também ansioso e todo TOLO para que o relembrasse das minhas instruções de forma a não falhar comigo (patrão) de novo!

Começo a ser mais preciso nas informações, claramente adaptado à merda que o Vítor tinha feito no carro!

Acabamos o dia em 2º!

PS – Ah…. Antes de ir dormir… Já me esquecia. Como não podia deixar de ser, fiz mais amigos sendo que não podia deixar de falar de um, em especial, que fiz hoje: o TURCO! Saddam, o TURCO! O meu primeiro contacto visual com ele foi do além, ou do Alá! Estava ele ajoelhado, com cabeça no tapete na direção de MECA e a murmurar preces a Alá. Aproximei-me e estava realmente de joelhos com a cabeça no chão mas num pano cheio de óleo recesso, na direção do carro do Cristiano e praguejava impropérios sem fim por ter entalado um dedo enquanto tirava a caroca da válvula do ar do pneu. Que TURCO sem jeito me saíu na rifa.

Dia 3 – 24 de Março de 2019 – Domingo

Estou farto de escrever! Só sei escrever 5 linhas e já escrevi 5 linhas, 150 vezes! Estou com dores nos dedos e nós no cérebro.

Tão cansado de ver o Vítor não seguir as minhas precisas indicações, heis que acontece o que NUNCA aconteceu até então: ENGANEI-ME!….

CALMA! Não foi bem um ENGANO! Foi uma falha de comunicação! O meu cérebro disse para a esquerda mas a minha boca disse para a direita. E logo na primeira vez que isto acontece, o Vítor FINALMENTE segue as minhas instruções ao pormenor! E pimba! Íamos de trombas contra uma parede, mas a tempo corrigi e disse para parar senão o Vítor ia mesmo em frente contra a PAREDE! É o que eu digo: se não fosse EU, não terminávamos qualquer ETAPA!

Graças a mim, não estamos embutidos numa parede qualquer na Sertã para futura análise de um qualquer arqueólogo, e acabamos em 2º lugar!

Até Já..

Vemos-nos em Loulé…mais ou menos a caminho de Meca, diz o TURCO!

(para o nosso amigo que tanto gostava do todo terreno ,olha por nós e descansa em paz Enes)

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

× Olá, como posso ajudar?